domingo, 13 de janeiro de 2013

Alecrim



Nome científico: Rosmarinus Officinalis

Significado do nome: Rosmarinus do latim significa "rosa que vem do mar",  justificado pelas flores azuladas que inundam as praias do Mediterrâneo, lembrando o orvalho.


Histórico:
O alecrim é uma planta cercada de misticismo. Entre os povos grego e romano era tida como uma erva sagrada.

Os gregos a denominavam “flor por excelência”, e dela se serviam para entretecer suas coroas, com as quais cobriam a cabeça por ocasião de certas festas. O alecrim era queimado nos santuários da Grécia antiga e o seu fumo era utilizado na idade média para desinfetar e afastar maus espíritos. Nas escolas gregas eram usadas auréolas de alecrim nas cabeças das crianças para melhorar nos exames.


O seu cultivo era vulgar nos mosteiros da Europa desde a idade média. Foi companheiro dos portugueses nas Entradas e Bandeiras. Em muitas regiões de Portugal substitui a palma e a oliveira na festa religiosa do Dia de Ramos.
  
    Na Itália era considerada proteção contra as bruxas. Os romanos, acreditavam que esta planta estava associada com o amor e juntamente com o cipreste associada a morte. É uma planta que desde tempos imemoriais tem sido objeto de muitas lendas. e por isso é que era plantada nas soleiras das portas, hábito que perdurou até a Idade Média.

Carlos Magno obrigava os camponeses a cultivá-lo.


Também os egípcios usavam o alecrim em seus ritos, visto que os túmulos têm vestígios da planta.
O verdor de suas hastes com muitas folhas era considerado como um símbolo de imortalidade.

Suas propriedades antissépticas também eram reconhecidas nos hospitais franceses, onde o alecrim era queimado durante as epidemias. No norte da França existe o costume de se colocar um ramo de alecrim nas mãos do defunto e depois plantá-lo sobre o seu túmulo.


Os mouros acreditavam que ele espantava as pragas e plantavam arbustos em seus pomares.

Até mesmo a Igreja Católica incorporou o alecrim em seus rituais, queimando-o em incensários desde a antiguidade. Na Igreja Ortodoxa, até hoje se utiliza seu óleo para unção.

Usada como incenso ou carregada como amuleto para atrair bons fluídos, principalmente em casamentos, e afastar mau-olhado, quebranto e inveja.( erva das benzedeiras ou erva das “bruxas”). Na Idade Média, era usada como defumador em dormitórios com pessoas enfermas.


Características da Planta: O alecrim é um arbusto com altura média de 1 metro, muito ramificado, sempre verde, com hastes lenhosas, folhas pequenas e finas em forma de agulha, opostas, lanceoladas. A parte inferior das folhas é de cor verde-acinzentada, enquanto a superior é quase prateada. As flores reúnem-se em espiguilhas terminais e são de cor azul ou esbranquiçada.

Perene (seca no inverno e rebrota no verão), o alecrim é a planta preferida das abelhas e floresce praticamente o ano todo, geralmente em encostas rochosas e ensolaradas ou ainda em solos seco e arenosos. Não necessita de cuidados especiais nos jardins.


Para Plantar: Cresce bem em ambientes muito ensolarados, e o solo relativamente pobre em vez de prejudicá-lo, deixa a planta mais densa e com perfume acentuado. Por isso, você pode plantar sua mudinha em vasinhos com 20 cm de diâmetro, usando terra comum de jardim. Para obter novas mudas, é só lascar um galho e plantar em solo úmido.


Uso caseiro: Inseticida natural, plantado na horta protege as outras plantas. Ramos de alecrim frescos, colocados entre as roupas defendem-nas de ataque de traças.


Uso na culinária: De sabor fresco e doce, o alecrim confere aroma delicioso a vários pratos, principalmente em carnes (em especial de porco e carneiro) e aves em geral, entrando, também, na composição de molhos, omeletes, sopas e cozidos. Dá, também, sabor especial a batatas e manteigas. No churrasco, espalhe suas folhas sobre as brasas para perfumar a carne.

O alecrim não perde seu sabor no cozimento, como a maioria das outras ervas. Tanto o ramo quanto suas folhas longas podem ser adicionadas às comidas. Sempre devem ser retiradas do prato antes deste ser servido. Misturado em pequenas quantidades às massas caseiras de pão, o alecrim fresco dá um gosto saboroso e exótico a massa, e deixa o pão digestivo e energético.


Excelente para aromatizar vinagres e azeites. o alecrim é, também, muito utilizado na decoração de pratos.

→ Os italianos não abrem mão dessa erva, muito apreciada para dar sabor ao carneiro, ao cabrito e ao vitelo. Aves assadas, envoltas em ramos de alecrim, são muito também são muito populares.


→ Na Toscana, na Páscoa, consome-se o Pane di Rosmarino, feito de massa branca, levemente adocicada, acrescida de uvas passas, molho de azeite e alecrim, com cobertura de açúcar.

→ Na Provence, sul da França, é usado ainda para o tempero de peixes. É, aliás, uma das três ervas básicas da região. As outras são o tomilho e a segurelha. Faz, também, parte do famoso Herbes de Provence (tempero francês com várias ervas).


Vinho com alecrim: Coloque alguns galhinhos de alecrim fresco em um bom vinho tinto e deixe macerar durante 21 dias bem fechado com parafina na rolha. Guarde em lugar escuro, deitado. Quando passar esse tempo, coe e acrescente mel puro à gosto (o mel é opcional). Sirva pequenos cálices antes do jantar. Além de ser ótimo para a digestão, ajuda a clarear as idéias para um novo dia de trabalho.


Forma de venda: Pode ser encontrado fresco ou desidratado (seco). As folhas frescas possuem aroma mais puro, sendo preferidas. O alecrim desidratado tem um sabor mais concentrado, portanto é recomendável usar uma quantidade menor.



Como escolher e onde encontrar

Fresco: maços e vasinhos de alecrim fresco são encontrados em feiras, mercados e supermercados. Escolha os ramos com as folhas mais viçosas e que não estejam manchadas nem murchas.

Seco: encontrado em supermercados e empórios. Verifique o prazo de validade.

Parte utilizada: folhas, flores, óleo essencial.



Chá de Alecrim:
Para cada xícara de água fervendo, utilize 4 gramas de folhas de alecrim.

Toma-se depois das refeições. As folhas do Alecrim são recomendadas no estímulo à circulação. Também auxiliam na digestão de gorduras e no combate à dor de cabeça associada com tensão nervosa.

O chá do alecrim tem várias finalidades, tratar o colesterol, as dores de dentes ou enxaquecas, as doenças de coração ou mesmo nos casos de celulite.Indicado para stress físico e mental, depressão, gota, reumatismo, facilita a digestão.


Virtudes: Este chá favorece a micro circulação, oxigenação cerebral, estimulando a memória e a criatividade. Alivia dores e espasmos. Fomenta a diurese, contribuindo para a redução de edemas e de celulite. Também pode regular o fluxo menstrual, quando é escasso. Para se obter melhores resultados, utiliza-se no tratamento interno e externo, simultaneamente.


Uso Medicinal:

O alecrim é uma planta que ama o calor e a vida. Ele aquece e estimula o cérebro e o corpo. É ótimo como cardiotônico e ajuda a diminuir os níveis de colesterol no sangue; atua como estimulante, anti-reumático, resolve rapidamente dores de estômago e azias e restitui a energia dos cansados e estressados por muito esforço mental. Por sua qualidade penetrante, é muito eficiente no tratamento de problemas respiratórios, desde o simples resfriado, catarro, sinusite até casos de asma (a inalação é o uso mais indicado). Usado externamente, por sua poderosa ação anti-séptica, é excelente para limpar feridas, principalmente de diabéticos e pessoas que tem dificuldades de cicatrização.
É estimulante da memória, fortalece e clareia a mente quando há esgotamento.


Efeitos colaterais: Contra indicado para mulheres grávidas e portadores de epilepsia.

Efeitos Energéticos: Diz-se que o alecrim é um "Costurador do Plexo Solar". Ele restitui rapidamente a energia perdida, dá mais estrutura de trabalho aos que lidam muito com o mental racional, é uma das ervas que ajuda na depressão e estados permanentes de cansaço por problemas emocionais. Ajuda, também, muito as crianças com uma estrutura emocional passiva, as que não respondem de forma concreta às agressões da vida. Aumenta a capacidade de aprendizado. É a planta chave da falta de autoestima. Atua nos desconfiados, nos que não acreditam em si mesmos, nos que não têm coragem de se lançar em novos projetos. É a erva da coragem.



Uso Mágico:
_ Os antigos curandeiros usavam o alecrim em encantamentos de adivinhação, de proteção, de amor e de curas em geral; para ajudar nos estudos.
_ Lavar as mãos com uma infusão de alecrim, diziam, substitui um banho de purificação.
_ Bebe-se um chá de alecrim antes de fazer um exame ou uma entrevista para ter a mente alerta. O chá de alecrim é ótimo para trazer o ânimo de volta.


_Está ligado a fidelidade, amor, lembranças felizes. O cheiro de alecrim mantém a pessoa alegre, é um símbolo de amizade.” (tirado de livros e texto antigos)
_O uso do Alecrim na cozinha e como remédio é então muito antigo, era muito usado por Curandeiros e benzedeiras de diversos lugares e países, por isso ficou conhecido como “erva forte da cozinha” ou “erva das bruxas” embora depois da inquisição tenha sido “adotado” pela igreja católica e usado nos incensários... Mas, segundo a história, as religiões já fazia uso dele desde a antiguidade...



_ Já Shakespeare o referiu em Hamlet – “Eis Alecrim, isto é para a memória”.



2 comentários: